O Circuito Estoril, no concelho de Cascais, vai receber o Campeonato do Mundo de Paraciclismo entre os dias 9 e 13 de junho. É o maior evento mundial anual de ciclismo para pessoas com deficiência. Esta prova marca ainda a maior participação nacional em mundiais de paraciclismo.

Portugal vai receber os melhores paraciclistas do mundo entre os dias 9 e 13 de junho, para disputar o Campeonato do Mundo de Paraciclismo. Serão mais de 300 atletas, de 39 países, a competir pelos 53 títulos mundiais que vão ser atribuídos até ao final da prova.

Tal como os Jogos Paralímpicos de Tóquio, os mundiais não se realizaram no ano passado e foram adiados para 2021. Desta forma, o evento que decorrerá no Circuito Estoril é a oportunidade perfeita para os atletas se prepararem para os Jogos Paralímpicos, que se irão realizar entre os dias 24 de agosto e 5 de setembro de 2021.

Em competição vão estar quatro categorias distintas que vão disputar as provas de fundo, contrarrelógio individual e team relay (ou corrida de estafetas por equipa). As duas primeiras vão ocupar toda a extensão do Circuito do Estoril, com uma distância de 8,3 quilómetros. Já o team relay vai realizar-se numa parte do circuito, localizada entre o início da reta principal e a segunda curva, com 1,9 quilómetros. Ambos os percursos serão percorridos em várias voltas, sendo que o número irá variar consoante a classe em competição.

Estas classes são atribuídas através de uma avaliação, realizada por médicos especializados da UCI (União Ciclista Internacional). Entre as cinco categorias que existem atualmente, são quatro aquelas que vão estar em competição no Campeonato do Mundo de Paraciclismo, visto que a categoria D, relativa aos surdos, não integra este evento. As categorias dividem-se em Handbike (H), Bicicleta (C), Triciclo (T) e Tandem (B), sendo atribuídos números em cada uma delas, consoante a classificação funcional do atleta. Quanto mais baixo o número, menor o grau funcional do paraciclista.

No Campeonato do Mundo de Paraciclismo vai decorrer ainda uma prova de team relay (estafetas por equipas), na qual participam atletas da classe H, em equipas femininas, masculinas e mistas, que competem em simultâneo.
Neste Mundial estarão presentes 13 portugueses que têm aqui uma oportunidade única de se desafiarem ainda mais, competindo ao mais alto nível, juntamente com as estrelas da modalidade. Além disso, este Campeonato do Mundo de Paraciclismo ficará marcado pela maior participação de sempre de atletas nacionais a este nível, o que só é possível porque a prova se disputa em território nacional.

A armada portuguesa é encabeçada pelos quatro corredores que integram diferentes níveis dos programas de alto rendimento paralímpico. Os mais experientes são Luís Costa (classe H5) e Telmo Pinão (C2), os únicos portugueses que já competiram em Jogos Paralímpicos. Bernardo Vieira (C1) e Flávio Pacheco (H4) também têm vindo a construir uma importante experiência internacional ao longo das últimas três temporadas.

Com menos rodagem ao mais alto nível, mas com iguais ou ainda maiores níveis de motivação, vão apresentar-se no Circuito Estoril outros nove corredores portugueses. A dupla Ana Silva e Isabel Caetano é uma surpresa de última hora e vão vestir as cores nacionais na classe B feminina. Além de Flávio Pacheco, Portugal contará com Carlos Neves e Rúben Garcia na classe H4. João Pinto competirá em H3, Paulo Teixeira alinhará em C3 e João Monteiro em C4. Serão dois os portugueses nas provas de C5, Hélder Maximino e Manuel Ferreira. O melhor resultado português de sempre foi conquistado por Luís Costa, medalha de bronze na prova de contrarrelógio de classe H5, em 2017.

Campeonato do Mundo de Paraciclismo apresentado em Cascais

Os mundiais de Paraciclismo foram apresentados hoje, dia 2 de junho, em Cascais, contando com intervenções do Vice-Presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo e Diretor da Organização do Campeonato do Mundo de Paraciclismo, Sandro Araújo, do Presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, Delmino Pereira, e do Presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras.

Vice-Presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo e Diretor da Organização do Campeonato do Mundo de Paraciclismo, Sandro Araújo: “A organização destes Campeonatos do Mundo foi um processo que durou cerca de três anos desde a génese da sua candidatura. Quando abordamos a Câmara Municipal de Cascais, foi de braços abertos que nos proporcionaram a oportunidade de realizar este evento, que está a ser organizado em conjunto com a autarquia e com a UCI (União Ciclista Internacional).”

Presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, Delmino Pereira: “Estamos perante um Campeonato do Mundo apaixonante, perfeitamente inclusivo e que tem gratificado muito a nossa modalidade. A nossa comunidade acolheu de braços abertos esta nova vertente do ciclismo e estamos muito orgulhosos de organizar esta competição. Queremos cada vez mais um ciclismo para todos, cada vez mais inclusivo. Vai ser certamente um grande espetáculo desportivo.”

Presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras: “É uma honra para Cascais receber uma prova desta natureza. Estamos habituados a organizar grandes eventos e este não será apenas mais um. Somos um concelho que pretende ser cada vez mais inclusivo e, com a hospitalidade reconhecida que nos é reconhecida, temos tudo aquilo que é necessário para um grande Campeonato do Mundo.”

Programa

9 de Junho
19h00-20h00: Team Relay

10 de Junho
10h00-13h20: Contrarrelógios
14h00-18h25: Contrarrelógios

11 de Junho
10h00-12h15: Contrarrelógios
14h00-18h55: Contrarrelógios

12 de Junho
10h00-12h55: Provas de Fundo
13h30-19h25: Provas de Fundo

13 de Junho
10h00-13h50: Provas de Fundo
14h30-19h40: Provas de Fundo

Log in with your credentials

Forgot your details?