Terminaram hoje os Mundiais de Paraciclismo, no Circuito do Estoril, com as provas de fundo das categorias T (triciclo) e H (handbike). Itália e Holanda dominaram a competição desde início e o último dia não foi diferente.

Após cinco dias de competição, chegou ao fim o Campeonato do Mundo de Paraciclismo, no Circuito do Estoril, em Cascais.

Tal como se verificou desde início, as seleções italiana e holandesa, tornaram a destacar-se no último dia de competição, tendo sido os dois países com mais títulos mundiais conquistados. Itália conquistou treze medalhas de ouro, os Países Baixos nove e a Grã-Bretanha seis. No total, foram 21 os países a conseguirem conquistar uma medalha, treze deles de ouro.

A Itália, que já era o país com mais títulos até ao momento, somou hoje mais quatro às suas contas. Giorgio Farroni venceu em T1, Roberta Amadeo e Luca Mazzone em H2 e Simona Canipari em H1. Os italianos conquistaram ainda mais três medalhas de prata em H3, com Francesca Porcellato, em H5 com Ana Maria Vitelaru e em H1 com Fabrizio Cornegliani.

Neste último dia de competição, os Países Baixos conseguiram o mesmo número de medalhas de ouro que Itália, com Jetze Plat a vencer em H4, Chantal Haenen em H5, Jennette Jansen em H4 e Mitch Valize em H5. A seleção holandesa conquistou ainda mais uma medalha de bronze, em H5, com Tim De Vries.

A Alemanha somou também mais dois títulos mundiais no dia de hoje, com Jana Majunke, na classe T2, e Annika Zeyen, na classe H3. As restantes medalhas de ouro atribuídas no dia de hoje, foram ganhas por França, na classe H3, com Riadh Tarsim, África do Sul, na classe H1, com Nicolas Pieter Du Preez, Bélgica, na classe T2, com Tim Celen, e Canadá, na classe T1, com Shelley Gautier.

Log in with your credentials

Forgot your details?